segunda-feira, maio 17

Prefeitura de Coari inicia com profissionais de saúde do Hospital Regional a vacinação contra a Covid-19

0

A Prefeitura de Coari, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), iniciou na manhã desta quarta-feira, 20, no Hospital Regional do Município (HRC), a vacinação contra a Covid-19. A médica Manoela Lopes, de 28 anos, e o técnico de enfermagem Jeferson Monteiro Corrêa, 34, que atuam na Ala Covid do HRC, além da técnica de saúde bucal Márcia Maria Pinheiro Marques, 38, indígena da etnia Miranha, foram os primeiros a receber a imunização.

Para a prefeita em exercício Dulce Menezes, o começo da vacinação contra a Covid-19 é uma grande conquista na luta contra a pandemia do novo coronavírus. “Não foi fácil para ninguém enfrentar essa pandemia, então, termos esse imunizante, que é cientificamente comprovado ser 100% eficaz para evitar casos graves de Covid, representa uma enorme esperança. Muitas vidas serão protegidas não só em Coari, mas em todo o país”, destacou.

As primeiras doses da Coronavac chegaram na tarde da última terça-feira em Coari. O município fretou um voo próprio para que pudesse trazer os imunizantes de imediato. Entretanto, só veio 25,9% da quantidade prevista no Plano Operacional da Campanha de Vacinação Contra a Covid-19 elaborado pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM). O documento previa a chegada de 3.484 doses na primeira fase, porém, só vieram 905.

Nesta fase, as vacinas serão destinadas exclusivamente para os povos indígenas vivendo em Terras Indígenas e profissionais de saúde que atuam na linha de frente do enfrentamento e combate à Covid-19 em Coari. A imunização dos idosos acima de 75 anos que também fazem parte do primeiro grupo prioritário para receber a Coronavac, conforme previsto no Plano Nacional de Imunização, não será feita no momento em razão da baixa quantidade de doses enviadas pelo Governo do Estado.

A distribuição dessas primeiras doses se dará da seguinte forma: 383 doses serão para os indígenas aldeados e profissionais indígenas, 399 para profissionais do Hospital Regional, 30 para o Departamento de Vigilância Sanitária (Devisa), 38 para as duas Unidades Básicas de Saúde Referência, 30 para o SOS, 5 para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) e 20 para o Programa Nacional de Imunização (PNI) e vacinadores.

A imunização dos indígenas aldeados deve ter início nesta quinta-feira. A Secretaria Municipal de Saúde traçou um planejamento estratégico para garantir a vacinação nessas regiões.

Fases – De acordo com o Plano Operacional da Campanha de Vacinação do Governo do Estado, a imunização contra a Covid-19 será dividida em quatro partes. A primeira fase é dedicada para os trabalhadores da saúde, população indígena aldeada maior de 18 anos e idosos acima de 60 anos vivendo em asilos, além de idosos acima de 75 anos. A segunda fase, que ainda não tem data para início, será destinada aos idosos com mais de 60 anos, e a terceira será voltada às pessoas com comorbidades.

Na quarta fase serão imunizados integrantes de povos e comunidades ribeirinhas, quilombolas, pessoas com deficiências permanente grave, pessoas com deficiência institucionalizadas, funcionários do sistema de privação de liberdade, população privada de liberdade, forças de segurança e salvamento, forças armadas, pessoas em situação de rua, trabalhadores da educação básica e superior, caminhoneiros, trabalhadores do transporte coletivo rodoviário, do transporte aéreo, portuários e aquaviário.

O esquema de vacinação contra o novo coronavírus corresponde a duas doses, com intervalo de 21 ou 28 dias entre elas.

Compartilhe

Comente